segunda-feira, 25 de maio de 2009

ACADEMIA PARANAENSE DA POESIA

HISTÓRICO

Em 17 de setembro de 2002 a Sala do Poeta do Paraná fundada por Pompília Lopes dos Santos em 7 de abril de 1973 passou a se denominar por deliberação unânime de seus associados efetivos e titulares: ACADEMIA PARANAENSE DA POESIA. A Sala do Poeta nasceu do idealismo da Dra. Alzira Bittencourt, advogada paulista, radicada no Rio de Janeiro e pioneira em muitas realizações. Como a nova entidade surgiu no seio da Academia Feminina de Letras do Paraná, para a mesma não se organizou uma diretoria especial. Pompília Lopes dos Santos passou a exercer a Presidência das duas entidades com a diretoria da própria Academia Feminina de Letras. Em 1974 Pompília Lopes dos Santos entregou a Presidência da Sala do Poeta a Nair Cravo Westphalen que organizou seu primeiro Estatuto e deu posse á primeira Diretoria. Assim Constituída:
Presidentes de Honra: Adalzira Bittencourt e Pompília Lopes dos Santos. Presidente: Nair Cravo Westphalen. Vice-Presidentes: Vera Vargas e José Ferrarine. Secretárias: Maria Nicolas, Maria Alba Mendes da Silva Xavier e Lourdes Strozzi. Tesoureira: Aurora da Silva Cury. Oradoras: Lorys Marquezine e Diva Ferreira Gomes. Bibliotecárias: Maria da Piedade L. Gonçalves e Argentina de Melo e Silva. Conselho Fiscal e Literário: Vasco José Taborda, Otávio da Sá Barreto, Seleneh Amaral Sperandio, Helena Kolody, Walfrido Piloto e Leonardo Henke. Em 1989 com o falecimento de Nair Cravo Westphalen, a vice Presidente Vera Vargas não podendo assumir a Presidência da Entidade convocou a mesma para uma Assembléia na qual foi eleita Roza de Oliveira que tomou posse no dia 16 de junho de 1989.
A partir de 17 de setembro de 2002, a Academia Paranaense da Poesia organizou e editou seu próprio Estatuto, tendo por base o Estatuto da antiga Sala do Poeta com adaptações para a recém-fundada Academia.

ATIVIDADES:

A Academia desde então desenvolve 4 projetos mensais e um anual para divulgar a Poesia muito além das quatro paredes de um único auditório:

a) Oficina Permanente de Poesia na Biblioteca Pública do Paraná (Projeto em Parceria da Academia com a Biblioteca) Todas as quintas-feiras das 18 às 20 h)
b) 2º sábado de cada mês a Tarde de Seresta, no Restaurante San Domingos (Antiga Confeitaria Iguaçu) Rua Voluntários da Pátria 368- 1º andar- das 17 às 21 horas, (Café Colonial) com Música e Declamação de Poemas.
c) 3ª Terça-feira de cada mês Tarde de Música e Poesia no Centro de Letras do Paraná (Rua Fernando Moreira 370) das 17 às 18: 30h
d) Almoçando com Música e Poesia no último Sábado de cada mês no Ponto Gira Grill Churrascaria- Rua Alfredo Bufren 219 na Praça Santos Andrade.
Estes quatro projetos não acontecem em feriados e em épocas de férias escolares.

O 5º Projeto é anual: Recital Natalino que acontece em fins de novembro ou começo de dezembro. Deste participam todos os Acadêmicos Titulares.

7 comentários:

Rafael Walter disse...

Viva a academia!

Anônimo disse...

Parabéns gyriusantuário dos poetas: Academia Paranaense da Poesia.
17 de setembro de 2009

Dária Farion


www.dariafarion.com.br

Anônimo disse...

(corrigindo)

Parabéns
Academia Paranense da Poesia,
santuário dos poetas.

Dária Farion

Prof_Sátiro disse...

CARPE DIEM

A partir de hoje
Tudo será agora.
Meus sonhos
A minha realidade constante
E as segundas e terças-feiras
Também serão fins de semana.
Amarei meus defeitos
Para que amem minhas virtudes
E farei da criança que há em mim
Um palhaço louco sempre a sorrir,
Pois não viverei como quem morre lentamente
Pedindo desculpas
Por não ter coragem de ser feliz.

Ola, Sou Sátiro Balieiro, poeta curitibano, em meu blog: prof.satiro@blospot.com tem um pouco de meu trabalho!

Antonio Cícero da Silva(Águia) disse...

Parabéns para a Academia, toda sua preciosa diretoria e auxiliares de um modo geral. Esta valorosa Entidade, está a muito trabalhar, em prol da poesia... VIVA A ACADEMIA PARANAENSE DE POESIA...

Academia Leopoldinense de Letras e Artes disse...

Academia Leopoldinense de Letras e Artes
academialeopoldinense@gmail.com

Programa das homenagens pelo Centenário de Morte de Augusto dos Anjos:
http://zip.net/btpdYJ

Paulo lucio dos santos disse...

Belo trabalho em prol da poesia. Nos dias de hoje, onde impera a mediocridade do funk ( um absurdo ter essa droga como patrimônio cultural barsileiro ou coisa assim...só em um governo do padrão do atual - esuqerdas, como dizia Sarkozy) , axê e outros, a BOA POESIA TEM SEU LUGAR.
Senhores, encessito de poesias de Leôncio Correia, sobre o tema AMOR, para livro sobre poestas petropolitanos e poetas que viveram ou toveram alguma ligação com a Cidade Imperial.

Desde já a gardeço qualquer colaboração, Paulo

plds61@gmail.com
plds61@bol.com.br